A  |  A+ |  A-
FAQ

Este FAQ foi elaborado com o objetivo de dirimir dúvidas que frequentemente surgem nos alunos de Graduação e Pós-Graduação da Faculdade de Saúde Pública quando pensam em realizar intercâmbio. O documento foi elaborado com perguntas e respostas Gerais (comuns à qualquer nível de estudo), para Graduação e para Pós-Graduação. Ele contém várias informações sobre os processos administrativos a serem realizados desde o momento em que o aluno pleiteia vaga em universidade estrangeira até seu retorno à FSP.

 

GERAL

  1. CRint e AUCANI, o que são?

A Comissão de Relações Internacionais, ou a CRInt, é o setor da FSP responsável pelas questões de Internacionalização da unidade. Ela atende a todos da FSP.

A Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional, ou a AUCANI, é a Agência USP ligada à Reitoria responsável pelas questões de Internacionalização da USP como um todo. Ela não realiza atendimento ao corpo discente.

Antes de tentar falar com a AUCANI, consulte sua CRInt.

 

  1. O que é Mobilidade Acadêmica?

Mobilidade Acadêmica é o nome que se dá ao período que um aluno – matriculado em uma Instituição de Ensino Brasileira – frequenta cursos relacionados ao seu curso de origem em Instituições de Ensino no Exterior

 

  1. Mobilidade e Intercâmbio são a mesma coisa?

Na linguagem cotidiana, sim, são a mesma coisa. Porém, existe uma diferença: a Mobilidade Acadêmica é um tipo de Intercâmbio. O Intercâmbio pode ser de idiomas, de trabalho (ex. au pair) e acadêmico. No Intercâmbio Acadêmico ou Mobilidade Acadêmica o foco principal está no estudo por 1 ou 2 semestres em um curso semelhante ao de origem, em uma Universidade do Exterior

 

  1. Quem pode fazer?

Qualquer aluno regularmente inscrito em um curso de graduação ou pós-graduação da USP.

 

  1. Quais os requisitos mínimos?

Além de ser aluno regularmente matriculado, o aluno de graduação deve ter concluído 2 semestres de seu curso no vínculo atual na USP, isto é, 1 ano completo a contar da entrada efetiva na sua unidade USP.

 

  1. Quais os tipos de mobilidade possíveis?

Para Graduação existem 3 tipos de Mobilidade:

  1. A) Mobilidade de Aproveitamento de Estudos via processo seletivo onde o aluno realiza 1 semestre ou 2 em Instituição do Exterior parceira da FSP ou USP;
  2. B) Mobilidade de Dupla Diplomação, onde o aluno poderá obter 2 diplomas após realizar 2 anos de estudo no exterior (não existente na FSP);
  3. C) Mobilidade de Aproveitamento de Estudos tipo Freemover, onde o aluno poderá realizar seus estudos em Instituições não parceiras da FSP ou da USP (neste caso, consulte sempre a CRInt para verificar as possibilidades, custos e regras).

Nos 3 casos, todas as disciplinas são inseridas no Histórico Escolar do aluno FSP.

 

Para a Pós-Graduação existem 2 tipos de Mobilidade:

  1. A) Mobilidade Sanduíche, onde alunos de mestrado ou doutorado podem frequentar cursos ou realizar parte de suas pesquisas;
  2. B) Mobilidade de Dupla Titulação ou Co-Tutela, para doutorandos, onde parte do período exigido para recebimento do título de doutor deverá ser realizado no exterior. Neste caso, o aluno receberá o Título de ambas Instituições envolvidas.

 

  1. Quanto tempo pode durar uma Mobilidade?

As mobilidades de graduação são de 6 meses, podendo ser prorrogadas por mais 6 meses, se houver autorização de ambas Instituições de Ensino envolvidas. As mobilidades de pós-graduação podem ter períodos menores, variando de 2 ou 3 meses até 6 meses. Também podem ser prorrogadas, de acordo com os projetos e concordância dos orientadores envolvidos.

 

  1. Como escolho a Faculdade para o intercâmbio?

Sempre aconselhamos a conversar com um professor/orientador da sua área de interesse e especificidade. Ele poderá indicar qual Instituição é a mais indicada para a área que deseja estudar, ou onde pesquisas sobre o assunto de seu interesse estão sendo realizadas.  Às vezes, onde sempre imaginou estudar no exterior, não é a melhor opção para a sua carreira futura.

 

  1. Ter cidadania ajuda no meu aceite?

Não. Ter cidadania poderá ajudar apenas na hora da obtenção ou isenção do visto de estudante.

 

 

  1. O que é Acordo/Convênio Acadêmico?

Acordo ou Convênio Acadêmico é um documento administrativo que sela a cooperação entre Universidades de diferentes países.

 

  1. Para que serve o Acordo?

Os acordos ou Convênios servem para estabelecer regras básicas com relação ao fluxo de troca de estudantes (intercambistas), pesquisas, publicações, etc. Também serve para garantir aos intercambistas a isenção das taxas acadêmicas referentes à matrícula e/ou mensalidades. Porém, não os isenta de taxas administrativas fixas, despesas de viagem, estadia ou subsistência.

 

  1. Posso solicitar a assinatura de um Acordo/Convênio?

Não. A solicitação de assinatura de um Acordo ou Convênio deve partir de um professor, departamento ou Comissão FSP (exceto para Dupla Titulação).

 

  1. Preciso falar outro idioma?

O conhecimento de outro idioma irá depender da língua oficial do país de intercâmbio/Instituição de Ensino. Com exceção para intercâmbios em países lusófonos (de língua portuguesa), o aluno interessado deve conhecer e falar outro idioma pelo menos em nível intermediário, devendo consultar no edital a pontuação mínima necessária exigida para cada certificado internacional de idioma.

 

GRADUAÇÃO

  1. O que é um Edital?

Edital é o texto normativo de um processo seletivo específico. Nele constará as regras para participação, inscrição e seleção de candidatos. Também são apresentados cronogramas e informações dos procedimentos administrativos a serem realizados tanto pela FSP/USP quanto pelos candidatos. Sua leitura atenta esclarece muitas dúvidas.

 

  1. Qual a diferença de Edital de Vagas e Edital de Bolsa (ou Bolsa com Vaga)?

Os Editais de Vagas oferecem apenas vagas de acordos estabelecidos, no qual a isenção das taxas acadêmicas foi previamente negociada. Os candidatos selecionados nesse tipo de edital deverão arcar com todas as despesas e custos de viagem, moradia e subsistência.

Os Editais de Bolsa são editais específicos para contemplar candidatos que já foram selecionados e indicados pelos Editais de Vagas. A inscrição nesses editais é realizada diretamente pela CRInt FSP, de acordo com as regras da AUCANI.

Os Editais de Bolsa com Vaga são editais, normalmente patrocinados pelo Santander Universia, que oferecem a vaga isenta de taxas acadêmicas + bolsa ou ajuda de custo. Normalmente os valores dessas bolsas é suficiente para cobrir as despesas de viagem ou moradia.

 

  1. Qual a diferença de Editais FSP e Editais AUCANI?

Os Editais da FSP oferecem vagas de acordos assinados exclusivamente com a FSP. Os candidatos concorrem apenas com seus colegas de curso ou unidade.

Os Editais da AUCANI oferecem vagas de acordos assinados com a USP contemplando diversas áreas e cursos tanto da própria USP quanto da Instituição conveniada. Os candidatos concorrem com alunos de toda a USP, de diversos cursos e especialidades.

 

  1. Como conheço as oportunidades de Mobilidade?

Todos os editais FSP e AUCANI são inseridos no Sistema MUNDUS (área pública). As oportunidades de mobilidade não administradas pela FSP ou USP (processos seletivos diretos, por exemplo), são divulgados nas mídias da FSP, a saber: Boletim da FSP, Facebook da FSP e da CRInt, Mural da CRInt. Em alguns casos mais específicos, a divulgação é realizada também via email e TV-Saguão FSP.

 

 

  1. O que é Processo Seletivo?

Como o próprio nome já diz, é um procedimento administrativo onde os vários interessados por uma mesma vaga de intercâmbio deverão se submeter para serem selecionados.

 

  1. Como me candidato?

Todos os processos seletivos FSP ou USP devem ter sua inscrição realizada pelo Sistema MUNDUS (área pública), seguindo as datas e regras apresentadas em edital.

 

  1. O que é Média Normalizada / Média Normalizada na Turma?

Média Normalizada é a média aplicada pela USP para equalizar todos os candidatos de diferentes cursos que se apresentam para um mesmo processo seletivo (=edital). Desse modo, um aluno de curso com médias altas poderá ser comparado a um aluno de curso com médias mais baixas. Para saber como é calculada, acesse  aqui

A Média Normalizada na Turma faz o mesmo que a Média Normalizada mas a nível de turma. Esse método torna relativa a nota do estudante em sua própria turma, permitindo a comparação de alunos de diferentes turmas, áreas e cursos.

 

  1. Onde verifico minha Média Normalizada?

A Média Normalizada pode ser vista no Resumo Escolar com reprovações.

 

  1. Posso realizar intercâmbio mesmo tendo reprovações (RN, RF, RA)?

Sim, você ainda poderá realizar o intercâmbio desde que as disciplinas obrigatórias com reprovação tenham sido refeitas e aprovação obtida. Disciplinas optativas, isto é, fora da grade regular do curso não são consideradas, assim como aos trancamentos. Mas verifique sempre o edital. Essa norma pode mudar de acordo com o proponente da vaga.

 

  1. Minha Média Normalizada é menor que a Ponderada. Isso é normal?

Sim, é normal. A aplicação da regra que equaliza a média de todos os estudantes acaba por “puxar para baixa” todas as médias ponderadas.

 

  1. O que é Plano de Estudos/Trabalho/Estágio?

Plano de Estudos, de Trabalho ou de Estágio é o texto explicativo do que pretende realizar lá fora. Para o Plano de Estudos, por ex., você deve apresentar o elenco das disciplinas pretendidas, com justificativa. Já no Plano de Trabalho ou de Estágio você deve explicar suscintamente qual pesquisa irá realizar, temas abordados, tempo de realização, etc.

 

  1. O que é Carta de Motivação ou Plano Profissional?

Em uma Carta de Motivação ou Plano Profissional você deve explicitar os reais motivos que o impelem a realizar o intercâmbio acadêmico internacional, o porquê da escolha da específica Universidade e como isso se encaixa em seu futuro profissional (por isso o nome de plano profissional). Normalmente, o texto se inicia com uma breve apresentação sua, algo em torno de 3 ou 4 linhas. Depois, colocam-se explicações sobre suas pretensões de carreira, de futuro e como o intercâmbio se encaixaria nessa sua ideia de futuro. Você pode ainda apresentar as disciplinas escolhidas e as razões por querer realizá-las, se não houver demanda de um plano de estudos em separado.

Nunca conte histórias passadas, nunca utilize frases prontas ou elogios exagerados à Universidade hospedeira ou país de destino. O foco desse texto é você e sua carreira profissional.

 

  1. O que é Carta de Recomendação?

Carta de Recomendação é um documento realizado, preferencialmente, por um docente de seu curso. O documento deve ser escrito na língua do país da Instituição estrangeira e assinado e carimbado (não vale assinatura eletrônica – carimbo do professor ou do departamento reconhecendo a assinatura). Não há modelo para esse documento. Procure um docente que o conheça bem, pode ser, por exemplo, seu orientador de IC, de TCC, supervisor de estágio ou atividade extracurricular da FSP.

 

  1. O que é CV?

CV ou Curriculum Vitae. É o histórico de sua vida que relata, em formato padrão, onde estudou, trabalhou, quais cursos diferenciados realizou, idiomas que domina, hobbies e atividades de lazer, etc. Mas atenção, para cada objetivo do CV, o modelo poderá mudar (veja modelos na internet ou nos editais que o solicitam).

 

  1. Como é realizada a seleção dos alunos candidatos?

A seleção é sempre realizada por uma banca de professores que observam os critérios objetivos solicitados em edital, além da pertinência do intercâmbio e das disciplinas solicitadas ao curso que realiza. Alguns outros critérios também podem ser utilizados para o caso de empate como, por exemplo, tempo restante para conclusão do curso.

 

  1. Qual a diferença de aluno selecionado e aluno indicado?

Aluno selecionado é aquele candidato que passou no processo seletivo da FSP ou da AUCANI e é considerado apto ao intercâmbio.

Aluno indicado é o aluno que teve sua candidatura indicada, isto é, apresentada à Universidade do Exterior.

Todo aluno indicado foi selecionado. Mas nem todos os selecionados conseguem ser indicados.

 

  1. Posso recorrer do resultado?

Sim. Todo aluno tem direito a apresentar recurso em até 2 dias após a publicação dos resultados. Porém, não é permitido acrescentar documentos novos ao recurso. Somente argumentações ou questionamentos sobre sua desqualificação ou desclassificação.

 

 

  1. O que é carta de aceite?

É o documento enviado pela Universidade Estrangeira ao aluno indicado, que confirma sua admissão. Também informa as datas de início e fim do intercâmbio, prazos para se apresentar, dentre outras coisas. Essa carta é necessária para obtenção do visto.

 

  1. Como me inscrevo na Universidade do Exterior?

Todo aluno indicado e que tenha recebido sua carta de aceite já tem sua matrícula garantida na Universidade de destino. Porém, alguns formulários poderão ser solicitados ou procedimentos para confirmação da matrícula. Isso é informado diretamente pela Universidade parceira ao aluno.

 

  1. Como obtenho o visto?

O visto é obtido diretamente na representação consular do país de destino, aqui em São Paulo (Atenção, existem algumas exceções). Para informações de documentos e procedimentos, aconselha-se que o aluno aceito entre no site do consulado para obter todas as informações. As CRInts e AUCANI não possuem competência para sanar dúvidas a esse respeito.

 

  1. Devo trancar minha matrícula?

Não. Seu status no Sistema Júpiter será alterado, pela CRInt, de “aluno matriculado” para “cursando disciplinas no exterior”.

 

  1. Quando posso viajar/ comprar minha passagem?

Somente após o recebimento da carta de aceite e da definição de prazo para concessão do visto é que você poderá comprar sua passagem e viajar.

 

  1. Seguro Saúde, Seguro Viagem: o que são?

Normalmente os consulados solicitam Seguro Saúde para conceder o visto. Porém, aconselhamos sempre a comprar um Seguro Saúde para o período de permanência no exterior. Alguns países, como Itália e Portugal, têm acordos com o Brasil para utilização do Sistema de Saúde do país de destino (IB4 para Itália ou PB4 para Portugal).

O Seguro viagem assegura, de modo menos completo, o período da sua viagem física, isto é, porta a porta. Verifique as cláusulas de cobertura desses seguros para o período de estadia no país (normalmente somente urgências).

 

  1. Como regularizo minha vida Acadêmica na FSP?

Toda e qualquer saída da FSP para realizar intercâmbio no exterior deve ser, obrigatoriamente, comunicada à CRInt seja pessoalmente, seja por email, independentemente do processo seletivo do qual participou (ou não). A não comunicação de sua saída pode deixá-lo sem vínculo com a FSP e você poderá até mesmo ser desligado do curso. Fique atento!

 

 

  1. Todo aluno indicado recebe Bolsa?

Não. Todo aluno indicado usufrui de isenção das taxas acadêmicas da Universidade de destino. A obtenção de bolsa pelo aluno indicado depende exclusivamente da participação do mesmo em editais de bolsa específicos.

 

  1. Como concorrer a uma bolsa?

Por meio dos processos seletivos oferecidos pela USP, via AUCANI, com indicação da CRInt-FSP.

 

  1. Existe outro tipo de financiamento?

Atualmente, financiamentos para intercâmbio de graduação são raros ou inexistentes. Processos seletivos de Bolsa Santander normalmente são acoplados a novas vagas ofertadas.

 

  1. O que devo fazer caso ganhe uma bolsa USP?

Você deverá verificar se seus dados no sistema Júpiter estão corretos e atualizá-los. Também deverá abrir conta, se ainda não possuir, em um Banco do Brasil (e somente no BB) e comunicar os dados da conta na secretaria de graduação para inserção em seu cadastro USP. Outros procedimentos serão fornecidos à medida que as diversas fases administrativas para concessão do benefício forem realizadas, inclusive a assinatura do termo de Outorga.

 

  1. O que devo fazer quando retornar do Intercâmbio?

Você deve comunicar seu retorno assim que chegar, pessoalmente ou por email, à CRInt (crint@fsp.usp.br).

 

  1. Quais documentos devo trazer e para quem?

Se for possível, trazer consigo o original do resumo ou histórico escolar das disciplinas cursadas no exterior e apresentá-lo na CRInt. A CRInt finalizará seu intercâmbio no Sistema e apresentará seus documento à Graduação para inserção das disciplinas em seu Resumo Escolar no Júpiter.

 

 

Pós Graduação

  1. Quais os tipos de mobilidade possíveis?

Existem 2 tipos de Mobilidade:

  1. A) Mobilidade Sanduíche, onde alunos de mestrado ou doutorado podem frequentar cursos ou realizar parte de suas pesquisas em Universidade ou Instituto do Exterior;
  2. B) Mobilidade de Dupla Titulação ou Co-Tutela, exclusiva para doutorandos, onde parte do período exigido para recebimento do título de doutor deverá ser realizado obrigatoriamente no exterior. Neste caso, o aluno receberá o Título de ambas Instituições envolvidas.

 

  1. Dupla Titulação ou Co-Tutela: como realizar?

Para realizar a Mobilidade de Co-Tutela ou Dupla Diplomação, os orientadores das duas Faculdades/Universidades envolvidas devem concordar com a Dupla Titulação do doutorando. Não há necessidade da FSP ser conveniada com a outra parte. Um acordo específico entre as 3 partes (você, FSP e IES exterior) será realizado pela secretaria de Pós-graduação, em termos pré-determinados pela Reitoria da USP (Procuradoria Geral).

Após emissão e assinatura de acordo e Termos de Responsabilidade, o doutorando poderá realizar seu projeto na Universidade escolhida em data previamente fixada. A defesa da tese será realizada no país Brasil e a participação do orientador e/ou professor convidado para banca poderá ocorrer por meio de videoconferência (agendada com antecedência na FSP). O doutorando receberá, ao final da defesa 2 títulos de doutor, um de cada Universidade envolvida.

 

  1. Como escolho a Faculdade para o intercâmbio?

A escolha é realizada juntamente com seu orientador FSP, levando-se em conta a temática de sua pesquisa e eventuais contatos preexistentes. É preciso consultar e analisar as opções para sua escolha não recair sobre um professor ou Universidade que já trabalhou com o tema de seu interesse, mas que agora não o pesquisam mais.

 

  1. Como efetivo minha mobilidade?

Toda mobilidade de pós-graduação inicia-se com um diálogo entre orientadores. Mesmo havendo convênios FSP, é necessário que o interesse entre as partes esteja presente. Publicações, propriedades intelectuais, linhas de pesquisa estão envolvidos e devem ser debatidas pelos envolvidos. A regularização de seu período no exterior é realizada pela secretaria de Pós-Graduação

 

  1. Quanto tempo pode durar minha mobilidade?

Tudo dependerá do que foi acordado entre os orientadores para as mobilidades tipo sanduíche. Para as mobilidades de Dupla Titulação, é exigido que 30% do tempo previsto de doutorado seja realizado no exterior.

 

  1. Como obtenho carta de aceite?

Diretamente com a Universidade escolhida. Normalmente, o orientador do exterior ou supervisor escolhido poderá emiti-la em nome da Universidade ou solicitar que o Escritório Internacional o faça. Em alguns casos mais raros, a Universidade do exterior solicita que a FSP oficialize a demanda.

 

  1. Bolsas USP existem?

Não existem bolsas USP para a Pós-Graduação. Contudo, alguns departamentos, com verba de projetos, podem oferecer algum recurso. O recorrente é solicitar bolsa para FAPESP, CAPES ou CNPq.

 

  1. Com quem regularizo minha vida Acadêmica antes de partir?

Sempre com a secretaria de Pós-Graduação.

 

  1. Que documentos devo trazer ao retornar?

Dependendo do que foi acordado, o histórico escolar caso tenha ido cursar disciplinas de pós, relatórios finais de pesquisa, declarações de presença ou comparecimento, …

 

  1. Visto e Seguros: como obter?

A obtenção do visto é de responsabilidade única do próprio aluno. As informações mais atualizadas encontram-se nos sites dos consulados dos países. Para alguns países, como os Estados Unidos, a Universidade que o receberá deverá enviar formulários de autorização específicos para seu consulado de São Paulo (ou de onde você for solicitar o visto).

Seguros sempre são exigidos para a obtenção dos vistos e/ou inscrição nas Universidades. Procuro um seguro saúde de ampla cobertura internacional (o INSS possui acordos com alguns países, como por exemplo Portugal e Itália, que oferecem o PB4 ou IB4, que dão direito ao uso do sistema público de saúde desses países). O seguro viagem, apesar de poder contemplar a permanência no país de destino, normalmente tem cobertura somente para emergências.