ODS 8 – Emprego e Crescimento

Você já conhece o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 8 – Emprego decente e crescimento econômico?

O Brasil vive hoje uma situação de grande desemprego e desesperança para a retomada do crescimento econômico. 8,9 milhões de pessoas perderam empregos em 2020. A taxa de pessoas desempregadas no Brasil é de 13,3% segundo o IBGE¹. Ao mesmo tempo é necessário que esse crescimento econômico seja economicamente, socialmente e ambientalmente sustentável.

Às metas do ODS 8 são:

  • Sustentar o crescimento econômico per capita de acordo com as circunstâncias nacionais e, em particular, um crescimento anual de pelo menos 7% do produto interno bruto [PIB] nos países menos desenvolvidos;
  • Atingir níveis mais elevados de produtividade das economias por meio da diversificação, modernização tecnológica e inovação, inclusive por meio de um foco em setores de alto valor agregado e dos setores intensivos em mão de obra;
  • Promover políticas orientadas para o desenvolvimento que apoiem as atividades produtivas, geração de emprego decente, empreendedorismo, criatividade e inovação, e incentivar a formalização e o crescimento das micro, pequenas e médias empresas, inclusive por meio do acesso a serviços financeiros;
  • Melhorar progressivamente, até 2030, a eficiência dos recursos globais no consumo e na produção, e empenhar-se para dissociar o crescimento econômico da degradação ambiental, de acordo com o Plano Decenal de Programas sobre Produção e Consumo Sustentáveis, com os países desenvolvidos assumindo a liderança;
  • Até 2030, alcançar o emprego pleno e produtivo e trabalho decente todas as mulheres e homens, inclusive para os jovens e as pessoas com deficiência, e remuneração igual para trabalho de igual valor;
  • Até 2020, reduzir substancialmente a proporção de jovens sem emprego, educação ou formação;
  • Tomar medidas imediatas e eficazes para erradicar o trabalho forçado, acabar com a escravidão moderna e o tráfico de pessoas, e assegurar a proibição e eliminação das piores formas de trabalho infantil, incluindo recrutamento e utilização de crianças-soldado, e até 2025 acabar com o trabalho infantil em todas as suas formas;
  • Proteger os direitos trabalhistas e promover ambientes de trabalho seguros e protegidos para todos os trabalhadores, incluindo os trabalhadores migrantes, em particular as mulheres migrantes, e pessoas em empregos precários;
  • Até 2030, elaborar e implementar políticas para promover o turismo sustentável, que gera empregos e promove a cultura e os produtos locais;
  • Fortalecer a capacidade das instituições financeiras nacionais para incentivar a expansão do acesso aos serviços bancários, de seguros e financeiros para todos;
  • Aumentar o apoio da Iniciativa de Ajuda para o Comércio [Aid for Trade] para os países em desenvolvimento, particularmente os países menos desenvolvidos, inclusive por meio do Quadro Integrado Reforçado para a Assistência Técnica Relacionada com o Comércio para os países menos desenvolvidos;
  • Até 2020, desenvolver e operacionalizar uma estratégia global para o emprego dos jovens e implementar o Pacto Mundial para o Emprego da Organização Internacional do Trabalho [OIT];
  • Existência de uma estratégia nacional desenvolvida e operacionalizada para o emprego dos jovens, como estratégia distinta ou como parte de uma estratégia nacional para o emprego.

Contudo, em 2017 a reforma trabalhista foi aprovada com o objetivo de promover um suposto crescimento econômico, porém precariza as condições de trabalho inclusive na questão da alimentação dos trabalhadores. A redução do intervalo intrajornada de uma hora para trinta minutos pode provocar mudanças negativas para a alimentação do brasileiro, que vão desde deixar de comer, até optar pelo consumo de fast-food e alimentos ricos em gordura, sal e açúcar (alimentos ultraprocessados), que alegam ser mais rápidos e práticos². Isso acontece para que os trabalhadores “percam menos tempo” durante o período da refeição e, dessa forma, consigam trabalhar mais, algo que pode ser bastante recorrente entre entregadores por aplicativo, por exemplo.

Existem atividades econômicas que poderiam promover o crescimento econômico sustentável. O turismo sustentável é uma possibilidade. Ele representa 8,1% do PIB brasileiro e gerou 7,5% de empregos em 2019³. O turismo sustentável promove a preservação do meio ambiente e da comunidade que recebe os turistas. Essa atividade econômica precisa atender às necessidades sociais e ambientais. A preservação da biodiversidade, da cultura e dos sistemas naturais faz parte dessa atividade4.

A criação e formalização de cooperativas também poderia contribuir para a geração de renda, redução da pobreza e inclusão5. Aliadas às práticas da Agroecologia as cooperativas agrícolas podem produzir alimentos orgânicos e os trabalhadores podem de forma conjunta impactar positivamente na comunidade e ter uma relação de trabalho mais participativa e democrática, como é o caso da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) que prevê a constituição de cooperativas de produção agroecológica pelos estudantes da graduação em 2018 para abastecer o restaurante da universidade 7.

Quer saber mais sobre as metas e quais delas estão sendo cumpridas? Basta acessar: https://odsbrasil.gov.br/objetivo/objetivo?n=8
https://www.ipea.gov.br/ods/ods8.html

Ficou com alguma dúvida? Escreve pra gente nos comentários!⁣

Acompanhe também as outras postagens sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável
da ONU no aqui no site!

_

Por Priscila Oliveira (@priscila64), Paloma Borges (@palomaboliveira), Alisson Machado (@alissondmach) e Nadine Marques (@nadinemnunes).

Fontes:

1- 8,9 milhões perderam o emprego no 2º tri, no pico da pandemia, diz IBGE. Disponível em: <https://economia.uol.com.br/empregos-e-carreiras/noticias/redacao/2020/08/06/pnad-continua-desemprego-ibge.htm>. Acesso em 11 set. 2020.

2- Implicações da reforma trabalhista na alimentação dos trabalhadores. Revista de Saúde Pública. Comentário. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312018000200300&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em 11 set. 2020.

3- III Relatório luz da sociedade civil da agenda 2030 de desenvolvimento sustentável Brasil. Disponível em: <https://gtagenda2030.org.br/relatorio-luz/relatorio-luz-2019/>. Acesso em 11 set. 2020.

4- Turismo sustentável. Disponível em: <https://www.icmbio.gov.br/cairucu/visitacao/turismo-sustentavel.html>. Acesso em 11 set. 2020.

5- ONU promove inclusão social por meio do cooperativismo. Disponível em <https://nacoesunidas.org/onu-promove-inclusao-social-por-meio-do-cooperativismo/>. Acesso em 11 set. 2020.

6- https://www.nexojornal.com.br/expresso/2020/08/06/Os-dados-do-desemprego-e-a-fragilidade-do-trabalho-informal

7- https://www.brasildefato.com.br/2017/10/02/na-uffs-estudantes-sao-estimulados-a-criar-cooperativas-agroecologicas


.⁣
.⁣
.⁣
#ONU #Sustentarea #Emprego #Sustentabilidade #ODS8 #ODS #CrescimentoEconômico