Vídeos

 

 

Faculdade de Saúde Pública FSP/USP

Publicado em 2 de mai de 2019

Nesta sequência de vídeos, pesquisadores da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP falam sobre seus estudos dentro do grupo de pesquisa Expossoma e Saúde do Trabalhador – eXsat, coordenado pela Prof. Kelly Polido Kaneshiro Olympio, docente do Departamento de Saúde Ambiental da FSP/USP. Nesse vídeo, a aluna de doutorado Fernanda Junqueira Salles e o aluno de graduação David Johnson Braga Tavares falam sobre seu projeto. Na pesquisa, a equipe determinou a concentração de elementos potencialmente tóxicos na urina de uma população envolvida na produção de joias e bijuterias. Além disso, o grupo também analisou o pó de solda envolvido na atividade e os produtos finais. O grupo de pesquisa Expossoma e Saúde do Trabalhador – eXsat tem como objetivo a discussão da exposição química ocupacional e ambiental em ambiente informal e domiciliar e sua associação com desfechos em saúde, estilo de vida e condições de trabalho. As linhas de pesquisa integradas na abordagem do expossoma desenvolvidas pelo grupo são o impacto do consumo e do trabalho informal na saúde ambiental; exposição química ocupacional e ambiental e a biologia da exposição; condições de estudo e trabalho dos jovens inseridos no arranjo produtivo informal e domiciliar de joias e bijuterias sob a perspectiva do expossoma; e a influência da dieta no expossoma.
*Os projetos de pesquisa tiveram apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).
Saiba mais sobre o Laboratório de Análises da Exposição Humana a Contaminantes Ambientais (LEHCA): https://www.fsp.usp.br/lehca/
Sobre o grupo de pesquisa Expossoma e saúde do trabalhador – eXsat: https://www.fsp.usp.br/lehca/2019/04/0…
Twitter: @fsp_usp https://twitter.com/fsp_usp

 

Publicado em 4 de abr de 2019
Nesta sequência de vídeos, pesquisadores da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP falam sobre seus estudos dentro do grupo de pesquisa Expossoma e Saúde do Trabalhador – eXsat, coordenado pela Prof. Kelly Polido Kaneshiro Olympio, docente do Departamento de Saúde Ambiental da FSP/USP. Nesse vídeo, a estudante de nutrição Isabelle Nogueira Leroux fala sobre seu projeto, no qual estudou se a dieta era um dos causadores da concentração de chumbo no sangue de crianças, além de outros possíveis fatores, tais como ambiente domiciliar e escolar. O grupo de pesquisa Expossoma e Saúde do Trabalhador – eXsat tem como objetivo a discussão da exposição química ocupacional e ambiental em ambiente informal e domiciliar e sua associação com desfechos em saúde, estilo de vida e condições de trabalho. As linhas de pesquisa integradas na abordagem do expossoma desenvolvidas pelo grupo são o impacto do consumo e do trabalho informal na saúde ambiental; exposição química ocupacional e ambiental e a biologia da exposição; condições de estudo e trabalho dos jovens inseridos no arranjo produtivo informal e domiciliar de joias e bijuterias sob a perspectiva do expossoma; e a influência da dieta no expossoma.
Confira o artigo da pesquisa [em inglês]: Lead exposure from households and school settings: influence of diet on blood lead levels https://link.springer.com/article/10….

Faculdade de Saúde Pública FSP/USP
Publicado em 27 de fev de 2019

Nesta sequência de vídeos, pesquisadores da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP falam sobre seus estudos dentro do grupo de pesquisa Expossoma e Saúde do Trabalhador – eXsat, coordenado pela Prof. Kelly Polido Kaneshiro Olympio, docente do Departamento de Saúde Ambiental da FSP/USP. Nesse vídeo, a pesquisadora Ana Paula Sacone da Silva Ferreira fala sobre sua dissertação de mestrado, estudo que investigou a exposição a elementos tóxicos de trabalhadores informais de um polo de produção de joias e bijuterias no Brasil. A pesquisa de Ana Paula incluiu aplicação de questionário, coleta de amostras de sangue dos participantes e amostras da zona de respiração de soldadores. O estudo revelou que os elementos Cádmio, Níquel e Cobre apresentaram concentração no ar maiores do que as diretrizes ocupacionais americanas. Essas concentrações são preocupantes, já que os familiares dos trabalhadores, incluindo as crianças, estão no mesmo cenário de exposição. Também foram observadas condições inadequadas de trabalho nas residências, o que aponta para a necessidade de implementar ações públicas urgentes para proteger essas famílias de trabalhadores. Quer saber mais? Confira o estudo completo aqui: “Famílias inseridas no arranjo produtivo informal da produção de joias e bijuterias de Limeira, SP: a exposição ocupacional a contaminantes químicos em ambiente domiciliar” http://www.teses.usp.br/teses/disponi… [acesso aberto e gratuito]

 

 

Faculdade de Saúde Pública FSP/USP
Publicado em 3 de jan de 2019

Nesta sequência de vídeos, pesquisadores da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP falam sobre seus estudos dentro do grupo de pesquisa Expossoma e Saúde do Trabalhador – eXsat, coordenado pela Prof. Kelly Polido Kaneshiro Olympio, docente do Departamento de Saúde Ambiental da FSP/USP.
Nesse vídeo, a estudante de nutrição Isabelle Nogueira Leroux fala sobre seu projeto, no qual analisou a ingestão de minerais na alimentação infantil. Para isso, Isabelle coletou amostras dos alimentos e bebidas ingeridos pelas crianças no período de 24 horas (método da dieta duplicada). A pesquisa revelou que boa parcela das crianças não ingeria a quantidade suficientes de alguns minerais, como cálcio, selênio e potássio. Além disso, foi constatada a condição de sobrepeso e obesidade em algumas crianças e ingestão de sódio acima do recomendado.
O grupo de pesquisa Expossoma e Saúde do Trabalhador – eXsat tem como objetivo a discussão da exposição química ocupacional e ambiental em ambiente informal e domiciliar e sua associação com desfechos em saúde, estilo de vida e condições de trabalho. As linhas de pesquisa integradas na abordagem do expossoma desenvolvidas pelo grupo são o impacto do consumo e do trabalho informal na saúde ambiental; exposição química ocupacional e ambiental e a biologia da exposição; condições de estudo e trabalho dos jovens inseridos no arranjo produtivo informal e domiciliar de joias e bijuterias sob a perspectiva do expossoma; e a influência da dieta no expossoma.
Sobre o grupo de pesquisa Expossoma e saúde do trabalhador – eXsat: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5…

 

Faculdade de Saúde Pública FSP/USP
Publicado em 8 de nov de 2018

Nesta sequência de vídeos, pesquisadores da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP falam sobre seus estudos dentro do grupo de pesquisa Expossoma e Saúde do Trabalhador – eXsat, coordenado pela Prof. Kelly Polido Kaneshiro Olympio, docente do Departamento de Saúde Ambiental da FSP/USP.
Nesse vídeo, o estudante de química Elizeu Chiodi fala sobre seu projeto de Iniciação Científica, no qual coleta dados sobre trabalho infantil domiciliar em um polo de produção de joias e bijuterias no Brasil. O principal objetivo do trabalho de Elizeu é verificar se esse trabalho impacta na vida dessas crianças de alguma forma e, se impacta, como isso acontece. A pesquisa ainda está em andamento.

O grupo de pesquisa Expossoma e Saúde do Trabalhador – eXsat tem como objetivo a discussão da exposição química ocupacional e ambiental em ambiente informal e domiciliar e sua associação com desfechos em saúde, estilo de vida e condições de trabalho. As linhas de pesquisa integradas na abordagem do expossoma desenvolvidas pelo grupo são o impacto do consumo e do trabalho informal na saúde ambiental; exposição química ocupacional e ambiental e a biologia da exposição; condições de estudo e trabalho dos jovens inseridos no arranjo produtivo informal e domiciliar de joias e bijuterias sob a perspectiva do expossoma; e a influência da dieta no expossoma.

Sobre o grupo de pesquisa Expossoma e saúde do trabalhador – eXsat: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5…

 

Faculdade de Saúde Pública FSP/USP
Publicado em 25 de out de 2018

Nesta sequência de vídeos, pesquisadores da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP falam sobre seus estudos dentro do grupo de pesquisa Expossoma e Saúde do Trabalhador – eXsat, coordenado pela Prof. Kelly Polido Kaneshiro Olympio, docente do Departamento de Saúde Ambiental da FSP/USP.
Nesse vídeo, a bióloga Fernanda Junqueira Salles fala sobre sua tese de mestrado. Em sua pesquisa, Fernanda avaliou a presença e concentrações de elementos potencialmente tóxicos, como Chumbo, Cobre e Mercúrio, no sistema de esgoto de um polo de produção de joias no Brasil e comparou a concentração desses elementos com os limites da legislação brasileira e internacional.

Quer saber mais? Confira o estudo completo aqui: “Avaliação da presença de elementos potencialmente tóxicos decorrentes da produção informal e domiciliar de joias e bijuterias na rede de esgoto sanitário de Limeira-SP” http://www.teses.usp.br/teses/disponi…
Artigo “The environmental impact of informal and home productive arrangement in the jewelry and fashion jewelry chain on sanitary sewer system”: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/2…

O grupo de pesquisa Expossoma e Saúde do Trabalhador – eXsat tem como objetivo a discussão da exposição química ocupacional e ambiental em ambiente informal e domiciliar e sua associação com desfechos em saúde, estilo de vida e condições de trabalho. As linhas de pesquisa integradas na abordagem do expossoma desenvolvidas pelo grupo são o impacto do consumo e do trabalho informal na saúde ambiental; exposição química ocupacional e ambiental e a biologia da exposição; condições de estudo e trabalho dos jovens inseridos no arranjo produtivo informal e domiciliar de joias e bijuterias sob a perspectiva do expossoma; e a influência da dieta no expossoma.

Sobre o grupo de pesquisa Expossoma e saúde do trabalhador – eXsat: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5…

 

 

 

 

 

LEHCA

Chamada:

Chamada para envio de artigos a serem publicados em número especial da Frontiers in Public Health maiores detalhes pelo link: https://www.frontiersin.org/research-topics/17086/exposome-the-cutting-edge-knowledge-in-the-exposure-science

Missão:

O Laboratório de Análises da Exposição Humana a Contaminantes
Ambientais (LEHCA), do Departamento de Saúde Ambiental da Faculdade de
Saúde Pública/USP, tem como missão a avaliação do expossoma humano,
incluindo a análise de substâncias tóxicas que podem estar presentes em
alimentos, atmosfera urbana, ambientes ocupacionais, escolar e doméstico.
Avaliações qualitativa e quantitativa são realizadas por técnicas analíticas
avançadas com métodos padronizados de amostragem ambiental e biológica.
O LEHCA também tem como objetivo o desenvolvimento de habilidades e
capacitação para a correta interpretação dos resultados alcançados em nossos
estudos, de forma a contribuir para a prevenção e resolução de problemas de
saúde pública. As atividades são desenvolvidas em nosso laboratório por
estudantes de graduação, pós-graduação e de iniciação cientifica, além da
qualificação de profissionais em pesquisa.

Equipe atual

Kelly Polido Kaneshiro Olympio

Kelly Polido Kaneshiro Olympio é coordenadora do Laboratório de Análises da Exposição Humama a Contaminantes Ambientais e do grupo de pesquisa eXsat – Expossoma e Saúde do Trabalhador .  É Professora Associada do Departamento de Saúde Ambiental da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. Graduada em Odontologia pela FOA-UNESP (2000), Especialista em Odontologia em Saúde Coletiva pela APCD-Bauru (2002), Mestre em Odontologia em Saúde Coletiva pela FOB-USP (2005) e Doutora em Saúde Pública pela FSP-USP (2009). Concluiu Pós-Doutorado pela Universidade de São Paulo, financiado pelo PNPD-CAPES (Departamento de Ciências Biológicas, FOB-USP, 2010-2011) e Pós-Doutorado financiado pela FAPESP (Departamento de Epidemiologia, FSP-USP, 2012-2013). Obteve o título de Livre-Docente em 2017. Membro associado da Society of Toxicology (SOT). Tem interesse científico e projetos em andamento nas áreas da Toxicologia Ambiental e Ocupacional, e Epidemiologia Ambiental,  priorizando o estudo do expossoma humano.

http://lattes.cnpq.br/5138426222420186

 

 

Thiago Nogueira

É professor contratado (MS-3.1) do Departamento de Saúde Ambiental da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. Graduado em Química pela Universidade Estadual de Londrina (2004), mestrado (2006) e doutorado (2011) pelo Instituto de Química da Universidade de São Paulo. Realizou pós doutoramento no Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP (IAG-USP) com estágio na Yale University. É co-autor do relatório das Nações Unidas (United Nations Environment Programme – UNEP) sobre as emissões de poluentes climáticos de vida curta (short-lived climate pollutants – SLPC) na América Latina. Sua linha de pesquisa atual está focada em responder às questões científicas no âmbito da qualidade do ar em grandes centros urbanos, energia, mudanças climáticas e seus impactos sobre a saúde humana. Atua em disciplinas de graduação (Controle da poluição do ar, Exposição humana aos agentes ambientais, Instrumentos de avaliação da qualidade ambiental e das condições de trabalho) e pós-graduação (Meteorologia da Poluição do Ar, Mudanças Climáticas e suas Interdisciplinaridades). Participa de atividades voltadas à extensão universitária – olimpíadas de química do estado de São Paulo e virada científica da USP.

http://lattes.cnpq.br/8282108332138342

 

 

Celia Regina Pesquero

Químico  no Departamento de Saúde Ambiental da Faculdade de Saúde Pública desde 1998 e no LEHCA desde 2017. Possui graduação em Química (Bacharelado -1988), Mestrado em Ciências (Área de Química Analítica -1992) e Doutorado em Ciências (Área de Química Analítica- 2001) todos pela Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Química Analítica Ambiental, com ênfase em análise de traços,  atuando principalmente nos seguintes temas: qualidade do ar, saúde ambiental, saúde do trabalhador, compostos orgânicos genotóxicos e métodos cromatográficos de análise.

http://lattes.cnpq.br/4310920023675660

 

 

 

 

Maria do Carmo de Oliveira Dória

Colabora com profissionais da área e docentes no planejamento e execução de atividades relacionadas ao ensino, pesquisa, extensão, dentro do campo das ciências da natureza. Profissional técnica com experiência de 30 anos de atuação na área. Estudou Química e História. Faz parte do grupo desde 2016.

http://lattes.cnpq.br/3473085251572608

 

 

 

 

 

Ana Carolina Russo

Sou graduada em Engenharia Ambiental pela UNESP (2010), mestre em Tecnologia Nuclear – Aplicações IPEN/USP (2013), especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho pela POLI/USP (2014) e doutora em Infraestrutura Aeronáutica pelo ITA (2019). Dentro do grupo, junto a FSP/USP, estou realizando o pós-doutorado sob a supervisão da Professora Kelly Polido Kaneshiro Olympio. O objetivo geral do estudo é investigar a associação entre exposição ao chumbo e alteração comportamental em Policiais Militares, além de investigar potenciais fatores de risco ocupacional à exposição ao chumbo.

http://lattes.cnpq.br/3431974109816480

 

 

Isabelle Nogueira Leroux

Formada em Nutrição (2018) pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP), hoje sou aluna de Doutorado Direto pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública da mesma instituição. Durante a graduação, realizei Iniciação Científica financiada pela FAPESP (2015-2018) no  Departamento de Saúde Ambiental da FSP-USP, período em que, já sob orientação da Prof.ª Kelly Polido Kaneshiro Olympio, investiguei a dieta como fonte de exposição de crianças pré-escolares a elementos potencialmente tóxicos, avaliei a ingestão de alguns nutrientes na alimentação destas crianças e também participei de projeto que avaliou a presença de metais pesados em utensílios de plástico colorido destinados ao uso infantil. Durante o doutorado no grupo de pesquisa eXsat (Expossoma e Saúde do Trabalhador), pretendo avaliar o impacto de exposições ambientais e ocupacionais no lipidoma e microbioma de trabalhadores, buscando por associações entre tais exposições e doenças crônicas.

http://lattes.cnpq.br/5061069848928644

 

 

Fernanda Junqueira Salles

Sou doutoranda do Programa de Saúde Pública da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP). Mestre em Ciências pela FSP-USP e bacharel em Ciências Biológicas pela Universidade de Taubaté. Meu projeto atual de Doutorado visa investigar como exposições ocupacionais e ambientais distintas podem alterar o transcriptoma de diferentes populações. A minha intenção é que a análise transcriptômica do meu estudo, dentro da abordagem do expossoma, possa auxiliar na descoberta de possíveis assinaturas biológicas de exposição química, levantando novas hipóteses sobre fatores de risco de doenças crônicas com grande impacto na saúde pública.

http://lattes.cnpq.br/5083647069508238

 

 

 

Simone Harue Kimura Takeda

Farmacêutica-bioquímica pela FCF-USP. Mestre em Ciências na área de Medicina Preventiva pela FM-USP. Doutoranda em Ciências (Saúde Pública) pela FSP-USP. Tenho experiência na área de Toxicologia Humana e Ambiental atuando principalmente em temas como biomonitoramento e qualidade ambiental. No meu projeto de doutorado pretendo investigar o expossoma de lactantes associado à exposição ambiental a poluentes orgânicos persistentes.

http://lattes.cnpq.br/7603683000569090

 

 

 

 

 

Alda Neis Miranda de Araujo

Sou estudante de pós-graduação no Programa de medicina Translacional – Unifesp. Orientada pelo Dr. Nilson Assunção e Coorientada pela Dra. Kelly Olympio. Meu principal foco de pesquisa diz respeito ao estudo das modificações pós traducionais das proteínas e avaliar os efeitos negativos dos metais Hg, Pb, Ni, Cd, Zn, As, Cu, Cr, Sn, na expressão proteica.

http://lattes.cnpq.br/8116599826565900

 

 

 

 

Fairah Barrozo

Mestranda em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Publica da Universidade de São Paulo – USP. Bacharel em gestão ambiental pela USP e especialista na área de química ambiental pela Faculdade Oswaldo Cruz. Atuo no LEHCA desde 2019, e tenho por objetivo avaliar o risco da exposição a metais em ambiente de trabalho domiciliar para a saúde de crianças, filhas dos trabalhadores.

http://lattes.cnpq.br/4887510887922177

 

 

 

 

 

Kamila de Almeida Piai

Eu sou aluna de Mestrado em Saúde Pública, minha principal área de interesse é o estudo da metabolômica  na investigação de exposição ocupacional a fatores de risco químico. Tenho muita sorte em fazer parte deste grupo de pesquisas, pois a universidade, os professores e a equipe tem muito a acrescentar na minha busca pelo conhecimento nesta temática. Minha perspectiva é me aprofundar cada vez mais nesta área, que considero inovadora e apaixonante.

http://lattes.cnpq.br/9089038843891257

 

 

Elizeu Chiodi

Faço graduação em Química com ênfase em Química ambiental. Na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP/USP), integro o grupo Expossoma e Saúde do Trabalhador (eXsat) coordenado pela professora Dra. Kelly Olympio. Minha pesquisa visa entender como se dão as relações entre o trabalho infantil na produção de joias e bijuterias e os aspectos em saúde com o sono e as condições de vida a qual essas crianças estão expostas. Meu interesse pela área surgiu quando passei a fazer parte do grupo de pesquisa, onde pude ter o contato não só laboratorial, promovido pela química, mas também com as pessoas envolvidas em minha pesquisa, o que vem possibilitando a obtenção de conhecimentos interdisciplinares.

http://lattes.cnpq.br/6615669471574380

 

Giovana Peron Fernandes

Sou estudante de Bacharelado em Saúde Pública da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo – FSP/USP (2018-2021). Dentro do grupo, estou realizando uma pesquisa de Iniciação Científica no Departamento de Saúde Ambiental da FSP-USP, sob orientação da Prof.ª Kelly Polido Kaneshiro Olympio. Meu projeto visa avaliar o conhecimento sobre exposição a chumbo de crianças pré-escolares (fontes, rotas, vias de exposição e efeitos à saúde) antes e depois de uma intervenção educativa, oferecida a partir da tradução dos conhecimentos produzidos pela literatura científica em uma forma lúdica e de fácil compreensão para que os pares pais/mães/responsáveis e seus filhos pré-escolares possam acessar, aprender e se sensibilizar, de forma divertida, sobre como prevenir a exposição ao chumbo.

http://lattes.cnpq.br/0944970241421122