Nota técnica

AGRO: POP ou PAPO?

Você com certeza já escutou por aí que o agro é tech, pop e tudo, não é? Será que isso é verdade ou só papo?

Para responder a essa pergunta, realizamos um estudo com o objetivo de avaliar a presença da agropecuária e sua relação com dados socioeconômicos e ambientais dos municípios do Centro-Oeste, região em que esse setor já está consolidado.

No estudo, a presença da agropecuária foi definida de acordo com a sua participação no produto interno bruto (PIB) de cada município. Isso significa que, quanto maior o valor do PIB da agropecuária para o município, maior a sua contribuição para a economia local.

APENAS 6%

das terras dos municípios em que a agropecuária é mais forte eram destinadas à agricultura familiar. Esse valor demonstra como o agro está associado a um modelo que exclui pequenos produtores, o que pode levar ao êxodo rural e aumento das desigualdades sociais.

909 MIL TONELADAS

foi o total de gases de efeito estufa emitidos pelos municípios em que a agropecuária é mais forte apenas em 2019, sendo 73% do sistema alimentar. Esse total é 67 vezes maior do que o emitido pelos municípios com menor participação da agropecuária

Quando avaliamos apenas a emissão de CO2 do sistema alimentar, o resultado foi muito semelhante!

Isso se reflete, de alguma forma, em bem estar social?

Não foi o que observamos! O número de empregos criados não foi muito maior nesses municípios em que a agropecuária é mais forte. Além disso, o salário médio dos trabalhadores formais foi parecido com o de outros setores.

Fizemos uma simulação para verificar como seria a distribuição do PIB para cada habitante, caso isso fosse possível.

Nos municípios em que a agropecuária contribuiu mais para a economia, quase 86% dos trabalhadores recebiam salários menores do que o valor que cada um ganharia se a distribuição das riquezas geradas fosse igualitária

Nos municípios com menor participação da agropecuária, esse percentual foi de 33%.

Esse resultado sugere que há uma grande desigualdade de renda nos municípios em que o agro é mais forte, que se alia à disparidade no acesso à terra

Resultados publicados na nota técnica ‘Pop ou papo? Um estudo sobre o impacto da agropecuária no Centro-Oeste brasileiro’.

E deixe aqui nos comentários: o agro é pop ou papo?

Tags: No tags

Faça seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Solve : *
7 × 10 =