A  |  A+ |  A-
Projeto Cosmopolíticas do Cuidado no Fim-do-Mundo debate a resistência indígena no enfrentamento à COVID-19

No dia 19 de abril, em celebração ao Dia dos Povos Indígenas, será inaugurada série de Encontros de Saberes do Projeto Cosmopolíticas do cuidado no fim-do-mundo, com o lançamento do quinto volume da Aru: revista de Pesquisa Intercultural da Bacia do Rio Negro, Amazônia, além do lançamento do minidocumentário “Cura” e do podcast “A Nova Doença dos Brancos”, em parceria do Instituto Socioambiental e com presença especial da antropóloga e liderança Francineia Fontes (Francy Baniwa) do povo Baniwa e da socióloga e liderança Elizângela Costa, (Elizângela Baré) do povo Baré. O encontro acontece a partir das 16h, no auditório Paula Souza da FSP-USP, com transmissão ao vivo pelo canal www.youtube.com/@cpasmenosum

O projeto Cosmopolíticas do Cuidado no Fim-do-Mundo é promovido pelo Departamento Saúde e Sociedade da Faculdade de Saúde Pública. Neste encontro em homenagem ao dia dos povos indígenas, os especialistas convidados tratam do tema “Com e para além da violência: mulheres indígenas, conhecimento e luta desde o Rio Negro.” O lançamento do quinto volume da revista, o  minidocumentário e o podcast mostram as estratégias dos povos do rio Negro para proteger vidas em cenário de omissão durante a pandemia, inclusive em áreas remotas da Amazônia.

Os lançamentos compõem o portfólio “Memoráveis”. Lançados em 2024, quatro anos após o início da pandemia, colocam em perspectiva a questão de que não é possível deixar de lembrar a crise sanitária, especialmente frente à emergência climática e ao modelo de desenvolvimento coloca a todos diante do risco de novas epidemias.

Com relatos de indígenas e não indígenas, os conteúdos retratam o cenário pandêmico no rio Negro e a memorável estratégia de resistência e proteção dos povos originários frente à crise sanitária numa das regiões mais preservadas da Amazônia, onde estão os municípios de São Gabriel da Cachoeira, Santa Isabel do Rio Negro e Barcelos, em meio a cerca de 750 comunidades de povos originários de 23 etnias.

O projeto Cosmopolíticas é coordenado pelo professor José Miguel Nieto Olivar, do Departamento de Saúde e Sociedade, com a participação de docentes e estudantes de outros departamentos e universidades. O objetivo é apresentar experiências e possibilidades de Composição de Futuros mais plurais para a saúde pública, tendo como ponto de partida conhecimentos de grupos historicamente considerados vulneráveis, estigmatizados e/ou deixados de lado nos debates das políticas públicas, além de agentes dos campos da saúde em seus diversos âmbitos e planos.

Os encontros Quinta(i)s Cosmopolíticos na FSP-USP buscam o debate e a aproximação da universidade com os conhecimentos e saberes indígenas referentes às discussões e ações de políticas públicas e saúde coletiva, apresentando experiências e possibilidades de Composição de Futuros mais plurais para a saúde pública, tendo como ponto de partida os conhecimentos de grupos historicamente considerados vulneráveis, estigmatizados e/ou deixados de lado nos debates das políticas públicas, além de agentes dos campos da saúde (em seus diversos âmbitos e planos).

Confira a Carta Convite do evento. 

 

Quinta(i)s Cosmopolíticos: Com e para além da violência: mulheres indígenas, conhecimento e luta desde o Rio Negro
Data: 19 de Abril – Dia dos Povos Indígenas
Local: Anfiteatro Paula Souza – Faculdade de Saúde Pública da USP – Rua Dr. Arnaldo, 715
Horário: 16h
Transmissão ao vivo pelo canal www.youtube.com/@cpasmenosum

Organização (FSP-USP): Natalia Farias, doutoranda no Programa de Pós-graduação em Saúde Pública (PPG-SP) da FSP-USP e pesquisadora do projeto Cosmopolíticas