LEHCA

Chamada:

Chamada para envio de artigos a serem publicados em número especial da Frontiers in Public Health maiores detalhes pelo link: https://www.frontiersin.org/research-topics/17086/exposome-the-cutting-edge-knowledge-in-the-exposure-science

Missão:

O Laboratório de Análises da Exposição Humana a Contaminantes
Ambientais (LEHCA), do Departamento de Saúde Ambiental da Faculdade de
Saúde Pública/USP, tem como missão a avaliação do expossoma humano,
incluindo a análise de substâncias tóxicas que podem estar presentes em
alimentos, atmosfera urbana, ambientes ocupacionais, escolar e doméstico.
Avaliações qualitativa e quantitativa são realizadas por técnicas analíticas
avançadas com métodos padronizados de amostragem ambiental e biológica.
O LEHCA também tem como objetivo o desenvolvimento de habilidades e
capacitação para a correta interpretação dos resultados alcançados em nossos
estudos, de forma a contribuir para a prevenção e resolução de problemas de
saúde pública. As atividades são desenvolvidas em nosso laboratório por
estudantes de graduação, pós-graduação e de iniciação cientifica, além da
qualificação de profissionais em pesquisa.

Redes Sociais

Convidamos a todos para conhecer as redes sociais do grupo de pesquisa Expossoma e Saúde do Trabalhador – eXsat da Faculdade de Saúde Pública da USP. Nestas plataformas, compartilhamos as atividades desenvolvidas em nosso laboratório pelos profissionais de pesquisa, estudantes de graduação, mestrado, doutorado e pós-doutorado, além de divulgar produções científicas de forma simplificada e própria para a internet. Acesse, acompanhe e se inscreva em nossos canais de comunicação!
 Conheça também o site de prevenção da exposição ao chumbo, desenvolvido no projeto de pesquisa de Iniciação Científica da aluna Giovana Peron Fernandes, sob orientação da Prof. Kelly Polido Kaneshiro Olympio.

 

Chumbo

Veja como proteger a sua família da contaminação por chumbo de um jeito leve e colorido.

Na infância, os nossos filhos, netos, sobrinhos levam muito a mão à boca, e é aí que mora o perigo, pois além da contaminação por micróbios, a criança pode facilmente ter contato com algum objeto ou situação que leva à exposição por chumbo que pode contaminar os pequenos.

Por isso, nós do LEHCA (Laboratório de Análises da Exposição Humanas a Contaminantes Ambientais) da Faculdade de Saúde Pública, juntamente com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Secretaria Municipal de Educação de Suzano, a CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), o Ministério da Saúde (Coordenação Geral de Vigilância em Saúde Ambiental e Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador) e a OPAS (Organização Pan-Americana da Saúde) queremos ajudar você a proteger a saúde dos seus pequenos da contaminação por chumbo.

Faremos isso de forma lúdica, com quadrinhos, personagens e jogos para a família se juntar e aprender brincando. Acreditamos que essa fase tão gostosa das crianças, de descoberta do mundo, precisa e pode ser mais segura

 

https://www.fsp.usp.br/prevencao-da-contaminacao-por-chumbo/

Fique por dentro!

 

Brinquedos e joias infantis podem conter elementos químicos que fazem mal à saúde das crianças

Pesquisadores da Escola Politécnica de Montreal, no Canadá, investigaram a presença de elementos nocivos à saúde em brinquedos e joias infantis comprados no mercado norte-americano, segundo artigo publicado em 2013 na Revista Environmental Science & Technology e descobriram que 20 das 24 amostras de brinquedos e joias infantis metálicas tinham pelo menos um metal, cuja concentração total excedia os limites de migração regulamentados por diretrizes da União Europeia. A maioria destas amostras continha altas concentrações de chumbo e cádmio disponíveis para o sistema gastrointestinal, o que pode ser perigoso para as crianças. Para determinar o teor total de concentração de metais foi selecionada uma peça representativa ou uma parte desses objetos que pudesse estar sujeita ao contato das crianças.  Os metais podem ser liberados a partir destas matrizes contaminadas nos fluidos gastrintestinais, após ingestão parcial (tinta descascada, fibras) ou ingestão total (pequenos fragmentos) fazendo com que quantidades significativas de metal fiquem biodisponíveis na circulação sanguínea, prejudicando vários órgãos. Os efeitos tóxicos de vários contaminantes em brinquedos e jóias de criança já foram discutidos na literatura científica e você pode aprender mais em nosso site. As crianças constituem um grupo vulnerável à exposição ao metal devido a fase de desenvolvimento e suas características fisiológicas, o que coincide com uma etapa da vida na qual é comum levar objetos à boca.

Por: Giovana Peron Fernandes

Artigo disponível em: https://doi.org/10.1021/es304969n

Guney M, Zagury GJ. Contamination by Ten Harmful Elements in Toys and Children’s Jewelry Bought on the North American Market. Environmental Science & Technology. 2013 47 (11), 5921-5930.

 

Altos níveis de chumbo no sangue estão associados às concentrações de chumbo em domicílios e creches brasileiras

Pesquisadores brasileiros, de universidades federais e estaduais de São Paulo, investigaram se os níveis de chumbo encontrados em residências e creches de crianças pré-escolares brasileiras estão associados com elevados níveis de chumbo no sangue, segundo artigo publicado no ano de 2018 na Revista Environmental Pollution, e encontraram associação significante entre as duas variáveis, sendo azulejos e equipamentos de playground os locais onde foram encontrados a maior parte das medições de alta concentração de chumbo. A exposição ao chumbo dentro das creches, nas quais as crianças passam muitas horas do dia, foi tão relevante quanto as exposições dentro do domicílio, e além disso,  altos níveis de chumbo tiveram maior impacto em crianças mais novas (1 a 3 anos) do que em comparação com crianças um pouco mais velhas (4 a 5 anos). O chumbo pode estar presente em diversas fontes de exposição como ar, água, alimentos e em fontes residenciais, como água da torneira quando o encanamento é metálico, solos contaminados com chumbo, tintas de parede descascando, brinquedos, poeira de móveis, objetos, canos velhos, parques infantis e áreas de lazer com tinta descascando, principalmente aquelas com estruturas antigas e metálicas e em mau estado de conservação e também em outras fontes de exposição descritas neste site.  Esses resultados, em conjunto com a  falta de informações sobre a exposição ao chumbo no Brasil, reforçam a importância da realização de mais estudos e ações, como a proposta neste site, que possam subsidiar políticas públicas no enfrentamento deste problema de saúde pública.

Por: Giovana Peron Fernandes

Artigo disponível em:  https://doi.org/10.1016/j.envpol.2018.04.080

da Rocha Silva JP, Salles FJ, Leroux IN, da Silva Ferreira APS, da Silva AS, Assunção NA, Nardocci AC, Sayuri Sato AP, Barbosa F Jr, Cardoso MRA, Olympio KPK. High blood lead levels are associated with lead concentrations in households and day care centers attended by Brazilian preschool children. Environ Pollut. 2018 Aug; 239:681-688

 

 

Comportamento antissocial em adolescentes pode estar relacionado à exposição a chumbo

Pesquisadores e pesquisadoras brasileiras, de universidades públicas em São Paulo, avaliaram a associação entre exposição a chumbo e dificuldade de aprendizagem e comportamento antissocial em adolescentes brasileiros moradores de bairros de vulnerabilidade social. O estudo foi  publicado em 2009, na Revista Neurotoxicology & Teratology. Os resultados encontrados foram compatíveis com achados anteriores na literatura científica, que indicam a existência de associação entre: adolescentes com maior frequência de comportamentos antissociais  e níveis mais altos de chumbo no esmalte dentário superficial, um indicador de exposição passada. Considerando apenas o grupo de jovens expostos a alto nível de chumbo, notou-se que existe um risco aumentado de exceder o limite de pontuação no questionário para problemas sociais, comportamento de violação de regras e problemas de externalização (conflitos com outras pessoas e comportamento agressivo). A avaliação do comportamento antissocial foi realizada através da aplicação de questionários para os adolescentes e seus pais. O alto potencial tóxico do chumbo e a presença deste metal em diversas fontes de exposição no nosso cotidiano já é conhecido e você pode aprender mais neste site. As inúmeras evidências científicas apresentadas até o momento sobre como a exposição e a intoxicação por chumbo causam grandes perdas sociais, médicas e econômicas está muito bem estabelecida e é mais do que justificável para a adoção de ações educacionais e formulação de políticas públicas que previnam a exposição ao chumbo e seus efeitos na saúde humana sejam implantadas.

Por: Giovana Peron Fernandes

Artigo disponível em: https://doi.org/10.1016/j.ntt.2009.12.003

Olympio KP, Oliveira PV, Naozuka J, Cardoso MR, Marques AF, Günther WM, Bechara EJ. Surface dental enamel lead levels and antisocial behavior in Brazilian adolescents. Neurotoxicol Teratol. 2010 Mar-Apr;32(2):273-9.

 

 

Quais são os níveis de chumbo no sangue de crianças que vivem em países da América Latina e do Caribe?

Pesquisadores brasileiros da Universidade de São Paulo, em conjunto com pesquisadoras da Organização Pan-Americana de Saúde e da Secretaria do Verde e Meio Ambiente de São Paulo, analisaram os níveis de chumbo no sangue de crianças entre 0 e 18 anos vivendo em países da América Latina e do Caribe (ALC), segundo artigo publicado em 2017 na revista Environment International. Foi verificado que os níveis de chumbo encontrados no sangue das crianças desta análise são altos (≥10 μg / dL) em comparação com os de crianças na mesma faixa etária vivendo nos EUA, um dos países que representa grande exemplo de sucesso na implementação de políticas públicas para a prevenção e controle da contaminação por chumbo. Esta pesquisa foi realizada a partir de revisão da literatura, que consiste na pesquisa, análise e descrição de informações encontradas em estudos relevantes sobre a temática, produzidos nos países avaliados. A maior parte dos estudos selecionados foram realizados em locais com fontes de emissão de chumbo conhecidas e conduzidos em hotspots, áreas de grande foco de contaminação, nos quais as crianças podem estar expostas a altos níveis de chumbo. Apenas o Peru e o México relataram níveis de chumbo no sangue em crianças a partir de estudos de base populacional, que são mais representativos e possibilitam estimativas para toda a localidade em investigação. Portanto, pouco se sabe sobre a exposição ao chumbo em crianças na América Latina e no Caribe, o que faz com que a porcentagem de crianças em risco ainda seja desconhecida e possivelmente subestimada. Os níveis de chumbo no sangue destacados por esta revisão são ainda mais preocupantes quando comparados aos relatados por EUA, Canadá, Japão e União Europeia, onde os programas de prevenção e controle foram bem idealizados e implementados, evidenciando a urgência com que as agências governamentais na ALC devem reconhecer a intoxicação por chumbo como um problema de saúde pública e elaborar estratégias para o seu enfrentamento.

Por: Giovana Peron Fernandes
Artigo disponível em: https://doi.org/10.1016/j.envint.2016.12.022

Olympio KP, Gonçalves CG, Salles FJ, Ferreira AP, Soares AS, Buzalaf MA, Cardoso MR, Bechara EJ. What are the blood lead levels of children living in Latin America and the Caribbean? Environ Int. 2017 Apr;101:46-58.

 

 

 

 

Ex-alunos

David Johnson Braga Tavares

Estudante de química na Universidade de São Paulo, participou do Programa de Iniciação Científica da FSP. Investigou  a composição das joias, bijuterias e do material utilizado para solda por trabalhadores informais, a fim de avaliar os riscos à saúde do trabalhador e de seus familiares. Este estudo pôde fornecer  subsídios para que legislações específicas sobre Elementos Potencialmente Tóxicos  (EPTs) presentes na composição de jóias e bijuterias  possam ser elaboradas e, quando existentes, fiscalizadas.  Foi bolsista PIBIC.

Prêmios

O aluno de Graduação em Química do IQ-USP, pesquisador de Iniciação Científica no Departamento de Saúde Ambiental da FSP-USP, orientado pela Profa. Dra. Kelly Polido Kaneshiro Olympio recebeu menção honrosa na Etapa Internacional do 27º Simpósio de Iniciação Científica da USP, com o estudo intitulado “Tableware plastic utensils supposed to use for children and sold in the Brazilian commerce present high lead and cadmium concentrations”, com coautoria da doutoranda Isabelle Nogueira Leroux. Elizeu já havia ganhado a menção honrosa na Etapa Internacional do 25º SIICUSP, em 2017, com o trabalho intitulado “Characterization of the concentrations of pottentially toxic elements in the sanitary sewage network of Limeira – SP arising from the informal production of jewelry and fashion jewelry”, parte do mestrado da doutoranda Fernanda Junqueira Salles.
Parabéns ao Elizeu, em nome de todos do eXsat!

Defesas

 

 

Allan Santos de Oliveira, no dia 29/10/2019, obteve o título de Mestre em Ciências com a dissertação intitulada “Chumbo e cádmio em unhas das mãos como biomarcadores de exposição subcrônica na biomonitorização de pré-escolares”.  A banca foi presidida pela orientadora, Profa. Dra. Kelly P. K. Olympio, e composta pelos demais membros, Dra. Rúbia Kuno (CETESB), Profa. Dra. Maria Tereza Pepe Razzolini (FSP-USP) e Prof. Dr. Bruno Lemos Batista (UFABC).

 

 

 

 

 

 

 

 

Alda Neis Miranda de Araújo, no dia 18/06/2019, obteve o titulo de Mestre  em Medicina Translacional da Universidade Federal de São Paulo, com a dissertação intitulada “Avaliação do perfil proteômico na saliva em trabalhadores da cadeia produtiva de joias, semijoias e bijuterias de Limeira, SP”.  A banca foi presidida pelo orientador, Prof. Dr. Nilson Antônio de Assunção (Unifesp), e composta pelo demais membros, Dra. Atecla Nunciata Lopes Alves (FM-USP), Dra. Erica Aparecida Souza Silva (Unifesp), Dra. Georgia Christina Labuto Araujo (Unifesp). Profa Dra. Kelly Polido Kaneshiro Olympio foi coorientadora.

 

 

 

 

 

Marcelo Eduardo Pexe , no dia 12/09/2018, obteve o titulo de mestre  em Ciências com a dissertação intitulada “Análise da exposição dos cabeleireiros ao formaldeído durante a realização de alisamento capilar”. A banca foi presidida pela orientadora, Profa. Dra. Kelly P. K. Olympio, e composta pelos demais membros, Dra. Larissa Ciccotti Freire, Prof. Dr. Rodolfo Andrade de Gouveia Vilela (FSP-USP) e Prof. Dr. Maciel Santos Luz (IPT)

 

Ana Paula Sacone da Silva Ferreira, no dia  22/08/2018, obteve o titulo de mestre  em Ciências com a dissertação intitulada “Famílias inseridas no arranjo produtivo informal da produção de joias e bijuterias de Limeira, SP: a exposição ocupacional a contaminantes químicos em ambiente domiciliar”.  A banca foi presidida pela orientadora, Profa. Dra. Kelly P. K. Olympio, e composta pelos demais membros, Dra. Rúbia Kuno (CETESB), Profa. Dr. Rodolfo Andrade de Gouveia Vilela (FSP-USP) e Prof. Dr. Pedro Vitoriano de Oliveira (IQ-USP).

 

 

Fernanda Junqueira Salles, no dia 08/08/2017, obteve o titulo de mestre  em Ciências com a dissertação intitulada “Avaliação da presença de Elementos Potencialmente Tóxicos decorrentes da produção de joias e bijuterias na rede de esgoto sanitário de Limeira – SP”. A banca foi presidida pela orientadora, Profa. Dra. Kelly P. K. Olympio, e composta pelos demais membros, Dra. Rúbia Kuno (CETESB), Profa. Dra. Adelaide Cassia Nardocci (FSP-USP) e Prof. Dr. Renato Sanches Freire (IQ-USP).

 

 

Eventos

 

 

 

 

 

 

Link do evento:

https://www.isee2021.org/

 

Trabalhos Apresentados:

ISEE-2021-01

ISEE-2021-02

ISEE-2021-03

ISEE-2021-04

 

PAHO – CAMPUS VITUAL DE SALUD PUBLICA

Serie de webinars ISEE-LAC y OPS – una colaboración para la educación permanente en epidemiología ambiental: “Exposoma: de las publicaciones a la práctica 

Fecha: 

Miércoles, Agosto 11, 2021
Hora:
12:00-13:30 (hora EUA-EDT)
Descripción:

Serie de webinars ISEE-LAC y OPS: una colaboración para la educación permanente en epidemiología ambiental.

Objetivo(s) del evento:

Objetivos específicos: Dar a conocer las relaciones entre cambio climático y salud en las Américas. Presentando las acciones que desde la OPS se están realizando en esta materia en Latino América y el Caribe.  Además, se presentarán herramientas para evaluar los co-beneficios en salud de la mitigación del cambio climático.

Organización: Capítulo de América Latina y el Caribe de la Sociedad Internacional de Epidemiología Ambiental (ISEE-LAC) en colaboración con la Organización Panamericana de la Salud (OPS/OMS).

Público meta: Alumnos registrados en el Curso en línea de Epidemiología Ambiental del Campus Virtual de Salud Pública; estudiantes de pregrado y postgrado, técnicos, profesionales, y gerentes de salud ambiental y salud pública en general, y población general con interés en el tema.

Evento a través de Zoom. Se requiere pre-registro en el siguiente link:

https://paho-org.zoom.us/webinar/register/WN_1ilXsOjpRg-NenhTQFHzeg

Síntesis de los temas:

(ESPAÑOL)

¿Usted sabe  que es el Exposoma y porque esto es importante para la salud pública? ¿Tiene curiosidad para conocer más sobre esta nueva estrategia de vigilancia en salud?

Exposoma es un enfoque reciente y prometedor de la salud ambiental que busca comprender las complejas relaciones entre el ambiente, el trabajo, la salud, la enfermedad, el comportamiento y la dieta, además de factores biológicos internos como el metabolismo, la microflora intestinal, la inflamación y el estrés oxidativo.
El estudio de Expossoma humano es un cambio de paradigma, ya que busca comprender el efecto combinado de todas las exposiciones a las que está sujeto un individuo desde su concepción hasta la muerte en lugar de mirar las consecuencias que cada exposición de forma aislada.

En este Webinar, la Dra. Kelly P. K. Olympio presentará en qué consiste este nuevo enfoque, sus ventajas y desventajas y qué oportunidades y desafíos podemos esperar en la implementación de estudios de Exposoma en América Latina y el Caribe, mientras que la Dra. Kasia Kordas presentará los resultados preliminares de su proyecto piloto en Uruguay, que evaluó las exposiciones múltiples en niños que utilizan pulseras de monitoreo.

 

(PORTUGUÊS)

Você sabe o que é o Expossoma e por que ele é importante para a saúde pública? Você está curioso para saber mais sobre esta nova estratégia de vigilância em saúde?

Expossoma é uma abordagem recente e promissora em saúde ambiental que busca compreender as complexas relações entre meio ambiente, trabalho, saúde, doença, comportamento e dieta, além dos fatores biológicos internos, como metabolismo, microflora intestinal, inflamação e estresse oxidativo.
O estudo do Expossoma humano é uma mudança de paradigma pois busca entender o efeito combinado de todas as exposições a que um indivíduo está sujeito desde sua concepção até a morte ao invés de olhar as consequências que cada exposição isoladamente.

Neste Webinar, a Dra. Kelly P. K. Olympio irá apresentar o que é essa nova abordagem, suas vantagens e desvantagens e quais oportunidades e desafios podemos esperar na implementação de estudos de Expossoma na América Latina e Caribe, enquanto a Dra. Kasia Kordas apresentará os resultados preliminares do seu projeto piloto realizado no Uruguai, que avaliou exposições em crianças através de pulseiras de monitoramento.

Disertantes. Breve síntesis curricular:

Presentaciones y ponentes:

Agnes Soares

Dra. Agnes Soares es médica con especialización en salud pública y medicina del trabajo, maestría en Salud Pública por la Facultad de Salud Pública, área de concentración salud ambiental y doctorado en Medicina Tropical, área de concentración en Enfermedades Tropicales y Salud Internacional de la Universidad de São Paulo, Brasil. Actualmente es asesora regional en epidemiología ambiental de la Organización Panamericana de la Salud. Tiene vasta experiencia en el campo de la salud pública, con énfasis en los últimos 20 años en salud ambiental, y en particular en temas relacionados con la contaminación del aire y la vigilancia en salud pública ambiental.

Kelly Olympio

Dra. Kelly P. K. Olympio es Profesora Asociada del Departamento de Salud Ambiental de la Facultad de Salud Pública de la Universidad de São Paulo, en Brasil. Es licenciada en Odontología, con Maestría en Odontología en Salud Pública y Doctorado en Salud Pública. Tiene post-doctorado por la Universidad de São Paulo en el Departamento de Ciencias Biológicas y por el Departamento de Epidemiología. Tiene intereses y proyectos en las áreas de Toxicología Ambiental y Ocupacional, Epidemiología Ambiental, Salud del Trabajador y Salud Ambiental, priorizando el estudio del Exposoma humano. También es líder del grupo de investigación eXsat: Exposoma y Salud Ocupacional.

Katarzyna Kordas

Dra. Katarzyna (Kasia) Kordas, es una epidemióloga ambiental con formación interdisciplinaria y experiencia en investigación y liderazgo que combina salud global, ciencias nutricionales, salud ambiental y desarrollo humano. Kordas es profesora asociada en el departamento de Epidemiología en Salud Ambiental de la Universidad de Buffalo (UB). También co-dirige la Comunidad para la Equidad en Salud Global de UB y es académica afiliada del Centro Colaborador con la OMS en Vivienda y Salud en UB. Junto con sus colegas, Kordas creó y co-lidera en Uruguay la cohorte escolar ambiental Salud Ambiental Montevideo (SAM). Su programa de investigación indaga los efectos de las exposiciones ambientales complejas (químicas) y las interacciones dieta-tóxico en la salud y el desarrollo de los niños urbanos. Su investigación abarca desde las moléculas a los barrios, dando cuenta de los contextos familiares, escolares y barriales en la relación entre los tóxicos y el desarrollo neurocomportamental infantil.

Rafael Buralli

Dr. Rafael Buralli es fisioterapeuta, Maestro y Doctor en Salud Pública de la Facultad de Salud Pública de la Universidad de São Paulo (FSP/USP), con un intercambio en el Centro de Investigación sobre el Ambiente y la Salud Infantil (CERCH), de la Universidad de California (UC) en Berkeley y otro en la Universidad de Chile. Actualmente, Dr. Buralli es consultor de la Organización Panamericana de Salud (OPS/WHO) en la Coordinación-General de Salud Ocupacional del Ministerio de Salud de Brasil (CGSAT/DSASTE/SVS/MS), trabajando en diversos temas de la vigilancia en salud, salud ambiental, ocupacional y emergencias de salud pública. Tiene interés especial en temas relacionados con salud ambiental y ocupacional, salud materno-infantil y los SDGs.

Agenda:

Hora Actividad Responsable
12:00-12:10 Bienvenida, introducción y presentación de ponentes Agnes Soares
12:10-12:30 O expossoma humano desvendando o impacto do ambiente sobre a saúde: promessa ou realidade? Kelly Polido Kaneshiro Olympio
12:30-12:50 Scola-Exposome: estudio piloto para medir químicos orgánicos en niños uruguayos. Kasia Kordas
12:50-13:20 Debate Rafael Buralli
13:20-13:30 Cierre Marcela Tamayo

 

Palabras claves:
exposoma, epidemiología ambiental.
Wednesday, August 11, 2021
Time:
12:00-13:30 (hora EUA-EDT)
Description:

Serie de webinars ISEE-LAC y OPS: una colaboración para la educación permanente en epidemiología ambiental.

Objective(s) of the meeting:

Objetivos específicos: Dar a conocer las relaciones entre cambio climático y salud en las Américas. Presentando las acciones que desde la OPS se están realizando en esta materia en Latino América y el Caribe.  Además, se presentarán herramientas para evaluar los co-beneficios en salud de la mitigación del cambio climático.

Organización: Capítulo de América Latina y el Caribe de la Sociedad Internacional de Epidemiología Ambiental (ISEE-LAC) en colaboración con la Organización Panamericana de la Salud (OPS/OMS).

Público meta: Alumnos registrados en el Curso en línea de Epidemiología Ambiental del Campus Virtual de Salud Pública; estudiantes de pregrado y postgrado, técnicos, profesionales, y gerentes de salud ambiental y salud pública en general, y población general con interés en el tema.

Evento a través de Zoom. Se requiere pre-registro en el siguiente link:

https://paho-org.zoom.us/webinar/register/WN_1ilXsOjpRg-NenhTQFHzeg

 

Wednesdays Webinars on Metal exposure and Human Health Outcomes

Durante o período de pandemia de COVID-19, para que as atividades previstas no SPRINT – Projeto de Pesquisa – Mobilidade – Edição 2019/01 / NRF – National Research Foundation (South Africa) não fossem interrompidas, foi organizado o Wednesdays Webinars series on Metal exposure and Human Health Outcomes. As organizadoras do evento foram a Profa. Dra. Kelly P. K. Olympio (Brazil) e Dra. Renee Street (South Africa).

As apresentações de ambos os países estão disponíveis abaixo.

O programa pode ser acessado aqui.

SPRINT Webinars 2020_Program_SiteLEHCA

During the COVID-19 pandemic period, so that the activities foreseen in the SPRINT – Research Project – Mobility – Edition 2019/01 / NRF – National Research Foundation (South Africa), were not interrupted, the Wednesdays Webinars series on Metal exposure and Human Health Outcomes was organized by Professor Kelly P. K. Olympio (Brazil) and Dr. Renee Street (South Africa).

Presentations from both countries are available below.

The program can be accessed here.

SPRINT Webinars 2020_Program_SiteLEHCA

 

Apresentações: 

Presentation: Overview of lead exposure in Africa 

Speaker: Angela Mathee

https://youtu.be/38_k0Za2pKs

 

 

 

Presentation: Blood lead levels of children living in Latin America and The Caribbean

Speaker: Kamila de Almeida Piai

https://www.youtube.com/watch?v=COzTbi4tze4&authuser=0

 

 

Presentation: Nails and metal levels 

Speaker: Allan Santos de Oliveira

 

 

Presentation: Pot makers and blood Pb levels’

Speaker: Busisiwe Shezi

https://youtu.be/0MSejKZLAc4

 

 

Presentation: Dust lead project 

Speaker: Fairah Barrozo

https://www.youtube.com/watch?v=3Lz-i8vByDU&feature=youtu.be

 

 

Presentation: Omics Project

Speaker: Fernanda  Salles

 

 

Presentation: Lead and cadmium in child tableware

Speaker: Elizeu Chiodi 

 

 

Presentation: 24-hour duplicate diets

Speaker: Isabelle Leroux

https://www.youtube.com/watch?v=49xzSxg8YG4&feature=youtu.be

 

 

Presentation: Bio-accessibility of toxic metals in post-graduate student diets

Speaker: Kerusha Kalicharan

 

 

 

 

 

 

Link do evento:

https://isee2020virtual.org/

Trabalhos Apresentados:

ISEE 2020-1

ISEE 2020-2

ISEE-2020-3

ISEE-2020-4

ISEE-2020-5

 

Festa de confraternização LEHCA 2019

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

International Conference on Environmental Bioinorganic and Toxicology Research 

In the International Year of the Periodic Table of Chemical Elements (IYPT2019), we have the pleasure and honor to invite you and your co-workers to participate in the third edition of the International Conference on Environmental Bioinorganic Chemistry and Toxicology Research – CEBiTOR 2019. This meeting will be held in Sao Paulo city, Brazil, December 10th to 11th, 2019. CEBiTOR is an interdisciplinary meeting that traditionally congregates bioinorganic, analytical and environmental chemists, as well as toxicologists, neuroscientists, pharmacologists and other experts dedicated to the study of the flows of metal ions and its chemical species through the environment and living systems.

São Paulo, December 10-11, 2019

Conference Venues

December 10th, 2019Diadema Campus of the Federal University of São Paulo (Rua São Nicolau, 210 – Centro – Diadema-SP (5th floor). 

December 11th, 2019Institute of Chemistry – University of São Paulo. Av Lineu Prestes 748. São Paulo-SP.

https://cebitor-2019.webnode.com/

Professor Kelly Polido Kaneshiro Olympio  will be Speaker

 

 

 

3rd International Conference on Pollutant Toxic Ions and Molecules, PTIM2019 

Pollutants, inorganic or organic, ionic or neutral, have the unmistakeable sign of men kind. They are the slow dead, which kills the life in our planet, kills our kids too, and kills us as well. Does life in Earth have a chance? This is a difficult question to answer.

The pollution is so intense in some places of our planet that life has become compromise in them.

A recent study involving more than 30 000 women in the USA suggests that endocrine-disrupting pollutants, EDPs, are linked to earlier menopause. Just as another study done over 2 732 women suggesting that polyfluoroalkyl Chemicals has the same effects as EDPs. And what to say about the recent report alerting the raising mercury content in tuna at a level of 3.8% per year since 1998? Countless examples can be given.

The question still remains: are humans driving the planet till dead?

This question will be answered, or better to say, try to be answered during the 3rd International Conference on Pollutant Toxic Ions and Molecules, PTIM2019 that will be held in November 2019 in Caparica, Portugal.

Date: 4th – 7th November 2019 Caparica – Portugal

CONGRESS VENUE
Hotel Aldeia dos Capuchos Golf & SPA
Largo Aldeia dos Capuchos, 2825-017 Caparica, Portugal
http://www.aldeiadoscapuchos.pt

http://www.ptim2019.com/

Professor Kelly Polido Kaneshiro Olympio  was Speaker with the Title: Can in vivo surface dental enamel microbiopsies be used to measure remote lead exposure?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

https://www.fsp.usp.br/site/noticias/mostra/16757

50 anos do Departamento de Saúde Ambiental da FSP/USP
26 e 27 de setembro de 2019

Profa. Kelly Polido Kaneshiro Olympio foi palestrante

 

 

 

 

 

 

 

IUTOX – 15th International Congress of Toxicology

July 15–18, 2019
Hawaii Convention Center
Honolulu, Hawaii, USA

https://www.toxicology.org/events/ict/travel-awards-iutox.asp

Foram apresentados três estudos e Profa. Kelly Polido Kaneshiro Olympio recebeu um prêmio.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

I Seminário Brasileiro de Saúde Materno – Infantil e Poluentes Ambientais é um evento com âmbito nacional e participação prevista de convidados internacionais, que tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento do campo teórico e de pesquisas relacionado aos poluentes ambientais e seus impactos sobre a saúde das crianças desde a sua concepção.

Ele é fruto de uma parceria entre unidades pertencentes à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) que engloba a Faculdade de Medicina (Departamento de Medicina Preventiva, Departamento de Pediatria e Departamento de Obstetrícia), a Maternidade Escola e o Instituto de Estudos de Saúde Coletiva (IESC).

É um evento com 2 dias de duração, em que experiências nacionais e internacionais de investigação dos efeitos da exposição a poluentes ambientais sobre a saúde materno- infantil, assim como as ações de intervenção e prevenção, serão apresentadas e discutidas pelos participantes. Pretende-se desta forma desenvolver estratégias para a implementação de ações de vigilância e atenção à saúde voltadas para a população infantil desde a gestação.

Data: 06 e 07 de junho de 2019.
Local: Academia Nacional de Medicina – Av. General Justo, 365, 7° andar – Rio de Janeiro/RJ. Brasil

http://www.smipa.me.ufrj.br/

Profa. Kelly Polido K. Olympio foi  palestrante.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

17 SEMINÁRIO ESTADUAL ÁREAS CONTAMINADAS E SAÚDE (SAC 2018)

“Gestão de áreas contaminadas e riscos à saúde da população”

01 de novembro de 2018

Centro de Convenções Rebouças (Auditório Amarelo)

Av. Rebouças,  600, São Paulo/ SP

http://www.cvs.saude.sp.gov.br/up/Programa%C3%A7%C3%A3o%202018.pdf

Profa. Kelly Polido K. Olympio foi  palestrante

 

 

 

8th International Conference on

Global Health

May 22-25, 2018 | Miami, Florida

https://ghc.fiu.edu/wp-content/uploads/sites/38/2018/05/8th-International-Conference-on-Global-Health-Program.pdf

https://ghc.fiu.edu/ghc-conferences/2018-conference/

Professor Kelly Polido Kaneshiro Olympio  was Speaker

 

Reportagens

Exposição química pode colocar trabalhadores informais em grupo de risco do coronavírus

http://paineira.usp.br/aun/index.php/2021/01/21/exposicao-quimica-pode-colocar-trabalhadores-informais-em-grupo-de-risco-do-coronavirus/

Exposição química pode colocar trabalhadores informais em grupo de risco do coronavírus

 

Uso exagerado de formol em salões de beleza causa impactos à saúde. 

Aluno de Mestrado, orientado pela Profa. Kelly Polido Kaneshiro Olympio, que desenvolveu sua dissertação de Mestrado no LEHCA, fala sobre sua pesquisa no Jornal da USP e do IPT.

https://jornal.usp.br/atualidades/uso-exagerado-de-formol-por-saloes-de-beleza-causa-impactos-a-saude/

https://www.ipt.br/noticia/1485-alisamento_capilar.htm