Impacto-ambiental-do-sistema-alimentar-do-Nordeste-Apresentacao-169

Qual o impacto ambiental do sistema alimentar do nordeste?

O desmatamento e a agropecuária são os setores que mais contribuem para a emissão de gases de efeito estufa no Brasil, correspondendo a 49 e 25% de todas as emissões, respectivamente

Neste post, mostraremos a emissão de CO2 no Nordeste, região marcada pelo passado colonial da cana-de-açúcar e avanço da agropecuária nos últimos anos.

Total de emissões de gases de efeito estufa por estado do nordeste (2021)*

Os principais emissores de CO2 por desmatamento foram Maranhão, Bahia e Piauí, estados que formam a região conhecida como MATOPIBA, que, por sua vez, abriga reservas indígenas, quilombolas, unidades de conservação e assentamentos da reforma agrária

Nos últimos anos, o agronegócio avançou na região, inserindo latifúndios nos quais predominam a grilagem e a distribuição desigual de terras, afetando a preservação do Cerrado.

Total de emissões de gases de efeito estufa por estado do nordeste (2021)*

A Bahia foi a maior emissora de gases de efeito estufa pela agropecuária na região Nordeste, ocupando a 10ª posição em nível nacional.

No estado, estão localizados alguns dos maiores produtores de soja da região. Além disso, a Bahia é o estado com maior criação de bovinos do Nordeste, justificando as maiores emissões de CO2.

Municípios do nordeste que mais emitiram gases de efeito estufa advindos do desmatamento (2019)*

Os 10 municípios que mais emitiram CO2 devido ao desmatamento nessa região estão concentrados, principalmente, no Maranhão, no Piauí e na Bahia.

Esses são os três estados do Nordeste que formam a região do MATOPIBA, evidenciando os impactos ambientais que a atividade agropecuária causa na região.

Municípios do nordeste que mais emitiram gases de efeito estufa advindos da agropecuária (2019)*

Os municípios que mais emitiram gases de efeito estufa advindos da agropecuária estão concentrados no Maranhão e na Bahia, especialmente na porção oeste destes estados

Assim, é possível perceber como a fronteira agrícola tem se expandido do Centro-Oeste para regiões limítrofes, levando consigo um modelo de produção de alimentos que é insustentável.




Post por Gabriel Ferrari (@gabrieltoninf) e Letícia Maximiano (@leticia.maximiano)

Faça seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Solve : *
29 × 30 =